fbpx
Grupo QG

BLOG

Sejam bem vindos ao blog do Instituto Grupo QG, aqui
você fica sempre atualizado sobre nossas novidades.

Seu capital é suficiente para investir em uma franquia?


 

capital para franquias

Como saber se seu capital é suficiente para abrir uma franquia

O desejo de abrir o próprio negócio é algo que em algum momento de nossa jornada vai surgir. Chega uma hora na vida que nos sentimos cada vez mais instigados a tirar do papel o sonho de ter a nossa própria empresa, para que, dessa maneira, consigamos obter resultados, não só no âmbito financeiro, mas também no pessoal e no profissional.

Este é um cenário que é ainda mais forte e nítido em nosso país, onde grande parte das pessoas são empreendedoras por natureza, e vivem buscando formas de se sobressair e não ficar dependendo apenas da tradicional relação trabalhista existente atualmente aqui, que é regida pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT.

No entanto, por mais que este desejo seja grande e forte, para realmente conseguir concretizá-lo é preciso bastante preparação e planejamento, principalmente no quesito de investimento, já que é de extrema importância saber se há capital suficiente para que a abertura do negócio seja um verdadeiro sucesso.

É por esta razão, que no artigo de hoje vamos falar sobre capital suficiente para investir especificamente no ramo das franquias. Continue esta leitura conosco e confira!

Como calcular o capital necessário para abrir uma franquia?

Talvez esta seja uma das maiores dúvidas que surgem na mente dos indivíduos que desejam investir em franquias e se tornar franqueados de alguma existente no mercado. Para fazer este cálculo é preciso levar em consideração diversos fatores, que dizem respeito especificamente à rede na qual você vai escolher investir.

De qualquer maneira, em tese, espera-se que dentro do valor cobrado para a realização do investimento inicial em uma franquia estejam as reformas, instalações, máquinas, equipamentos, sistemas de gestão, constituição da empresa, papelaria, estoque inicial, papelaria, investimento em marketing, inauguração, a taxa de franquia, que já falamos bastante aqui neste blog, bem como o capital de giro, que costumeiramente é deixado de fora de todo este cálculo. Lembrando que, o valor do ponto não entra nesta conta.

Na teoria, estes elementos são os que deveriam ser levados em consideração para você saber se o seu capital é suficiente para a abertura de uma franquia. Porém, na prática, não é bem isso o que acontece.

O que alguns franqueadores fazem, na verdade, é divulgar apenas o investimento necessário para a realização de reformas, para as instalações, deixando de mencionar a taxa de franquia e o capital de giro, que não passa de um grande erro.

Isso porque este comportamento pode até levar o investidor a se interessar pela franquia, porém, ao se deparar com a quantia adicional que precisará desembolsar, para realmente conseguir fazer com que este investimento saia do papel, ele pode acabar desistindo, por entender que não terá plenas condições de arcar com todos estes custos.

Com isso, tanto o candidato a franqueado, quanto franqueador, acabam perdendo tempo e energia em algo que já poderia ter sido esclarecido desde os primeiros contatos com a rede de franquias, o que nos leva a valorizar ainda mais transparência na comunicação e na divulgação das informações, que farão com que a relação construída seja a mais benéfica possível para ambas as partes.

Tendo todos estes pontos em vista, o que conseguimos concluir disso é que, antes de efetivamente fechar negócio com a rede, o candidato a franqueado precisa saber com clareza o que realmente contempla a relação de investimento inicial na franquia de seu interesse, pois somente assim ele consegue evitar que surpresas surjam no meio do caminho e acabem impactando negativamente seus sonhos.

Os itens inclusos no investimento inicial de uma franquia

No tópico acima falamos dos principais itens, que geralmente são cobrados no valor inicial para a abertura de uma franquia. Nos próximos parágrafos vamos detalhar cada um deles, para que você entenda exatamente em que está investindo. Continue a leitura conosco e confira:

Taxa de franquia

O primeiro item que vamos abordar é a taxa de franquia, que nada mais é que uma quantia cobrada pela rede, para que o empreendedor se torne um franqueado. Geralmente, o seu pagamento é feito no momento em que ocorre a assinatura do pré-contrato de franquia.

Direito de uso da marca

Este é normalmente um valor que já vem incluso na taxa de franquia e dá ao franqueado o direito de uso e comercialização de produtos ou serviços em nome da marca.

Suporte na implantação da franquia

Independentemente do segmento de atuação, é dever da franqueadora oferecer a seus franqueados o suporte e o apoio necessário, para que deem início à implantação e à estruturação da sua unidade.

Treinamentos

Outro item que deve estar no escopo do investimento realizado pelos futuros franqueadores são os treinamentos, que vão permitir que o negócio se desenvolva de maneira satisfatória. Será através deles que todo o conhecimento, know-how, processos e padrões de qualidade serão repassados à equipe, para que realizem um trabalho de sucesso na nova unidade.

Reformas e instalações

Geralmente, conforme dissemos acima, os valores para a realização de reformas, para as instalações e obras civis já são cobradas de início pela franqueadora. Neste caso, é preciso investigar junto à rede, para saber se tais valores estão ou não incluídos no investimento inicial.

Projeto

No que diz respeito à projeto arquitetônico e mobiliário, estes também já estão inclusos no capital inicial para a abertura da franquia. Isso porque muitas franqueadoras exigem que as unidades de seus franqueados atendam um padrão, pré-definido por elas, para facilitar o reconhecimento da marca por parte do cliente, quando o mesmo chegar ao ponto comercial.

Máquinas e equipamentos

Além dos itens que já citamos, outros que também costumam estar inclusos no investimento inicial realizado pelo empreendedor são os maquinários, bem como os equipamentos necessários para que se dê início às operações com sucesso.

Estoque inicial

Outro item de real importância nesta lista é o estoque inicial, bem como a matéria-prima necessária, para que o franqueado possa operar em sua unidade. Muitas redes costumam incluí-los na cobrança do capital inicial para a abertura da franquia. No entanto, outras não adotam a mesma prática, o que faz com que seja necessário investigar, para saber se os mesmos estão incluídos ou não.

Software de gestão

Praticamente todas as redes de franquia têm um sistema de gestão, que utilizam para seguir suas rotinas administrativas de maneira organizada. Dentro do investimento inicial que o novo franqueado fará já está incluso também o direito de uso desta ferramenta, que vai lhe ajudar a administrar a sua unidade da melhor maneira possível.

Além dos itens que citamos, existem alguns outros que também podem estar neste escopo, como é o caso do investimento para a abertura da empresa, para o capital de giro, para o marketing de inauguração, entre outros, que precisam ser consultados junto à franqueadora, para que, dessa maneira, fique claro para o franqueado o que, de fato, ele está pagando para ter direito.

Ter ciência sobre tudo isso é fundamental, para, como dissemos no começo, evitar surpresas desagradáveis no futuro.

Depois de ler tudo isso, você já consegue dizer se o seu capital é suficiente para investir em uma franquia? Fale conosco sobre o assunto nos comentários e lembre-se de compartilhar este conteúdo com seus amigos, para que eles entendam o que é necessário para investir no ramo de franquias.