fbpx
Grupo QG

BLOG

Sejam bem vindos ao blog do Instituto Grupo QG, aqui
você fica sempre atualizado sobre nossas novidades.

Formatação de Franquias – Passo essencial para uma gestão eficiente


Formatação de franquias

Processo de planejamento e execução da transformação de uma marca em franquia

Transformar seu negócio em franquia pode parecer simples, mas envolve diversos aspectos gerenciais importantes para que resulte em uma franquia de sucesso.

Pode chegar um momento em que seu negócio cresça bastante, esteja bem formatado e pareça que não tem mais para onde expandir, como se todas as opções de melhoria e crescimento estivessem esgotadas. Se você chegou nesse momento, pode ser uma boa hora de considerar formatar seu negócio para que se torne uma franquia. 

Esse processo de planejamento para se tornar uma marca franqueadora vai exigir outros aspectos de gestão do seu negócio, mesmo que você já possua uma empresa que funcione de maneira eficiente. 

Você acha que já chegou no momento de transformar a sua empresa em uma franquia? Vamos juntos, nesse artigo, conhecer mais e melhor sobre o que está envolvido nesse processo de franchising e quais passos você precisa seguir para tornar sua marca em uma franquia de sucesso.

O que é formatação de franquias? 

Formatação de franquias nada mais é que o processo de planejamento e execução da transformação de uma marca em franquia. Engloba, pois, os passos necessários para que um empresário consiga ampliar seu negócio e, com isso, franqueá-lo. 

A seguir vamos ver quais são os passos essenciais para formatar uma franquia: 

  1. Fazer um planejamento estratégico de expansão 
  2. Realizar Pesquisas de viabilidade e franqueabilidade da marca
  3. Realizar Pesquisas de mercado
  4. Elaborar um Plano de expansão 
  5. Elaborar os documentos jurídicos necessários
  6. Definir perfil ideal do franqueado 
  7. Realizar um Plano de estruturação e implantação da empresa franqueadora

Passos essenciais para a formatação eficaz de uma franquia

Vamos agora conhecer e entender melhor cada uma dessas etapas da estruturação de franquias, para que, ao final desse artigo, você esteja apto a implementar um plano de franchising para o seu negócio. 

Planejamento estratégico de expansão 

Esse é necessariamente o primeiro passo para a formatação da sua franquia. Quando surgir a ideia de transformar o seu negócio em franquia, você deve elaborar, antes de tudo, um planejamento estratégico, que compreenda essa expansão. Aqui vale aquela máxima do mundo dos negócios de “planejar antes de executar”. 

Para você que chegou nesse ponto de franquear seu negócio, provavelmente já fez diversos planejamentos estratégicos e esse será mais um. Você deve analisar e avaliar as melhores estratégias de expansão, que mais se adequam ao seu modelo de negócio. Não esqueça também de avaliar o perfil e o tamanho do seu negócio. 

Vale lembrar que para pensar em formatar a franquia da sua empresa, é bom e recomendável que você já possua processos e procedimentos internos padronizados, uma marca consolidada no mercado, equipe de profissionais capacitados e esteja com a parte operacional bem estruturada. Além disso, você deve avaliar se efetivamente há potencial de expansão por meio de franquias. 

Pesquisas de viabilidade e franqueabilidade da sua marca

Aqui o que você vai fazer é realizar um estudo interno sobre a viabilidade econômica e financeira da sua empresa, para verificar se há a possibilidade de efetivamente franquear seu negócio. Este é um importante passo para pautar essa decisão. 

Fazer uma avaliação sobre o impacto financeiro da formatação da franquia no seu negócio é fundamental para saber se você pode prosseguir sua expansão nesta direção. 

A decisão de franquear sua empresa não deve ser embasada apenas no pressentimento de que este seja o próximo passo de expansão. Um negócio de sucesso deve avaliar economicamente se trabalhar para a estruturação de franquia é de fato o próximo passo e realizar uma pesquisa de viabilidade auxilia bastante nesse processo de tomada de decisão. 

A franqueabilidade de uma marca é um estudo complementar ao de viabilidade, pois não basta ser apenas viável financeiramente para a empresa, deve-se avaliar o potencial de mercado dessa franquia. Essa pesquisa de potencial deve avaliar se é possível aplicar o sistema e garantir a distribuição com mesmo nível de qualidade de seus produtos ou serviços. 

Nessa mesma pesquisa, você deve também se atentar para os prováveis mercados nos quais irá atuar e aferir a rentabilidade de formatar sua franquia, tanto para a sua empresa como para os seus futuros franqueados. 

Plano de expansão

O próximo passo é realizar um plano de expansão, que engloba o mapeamento de quais cidades possuem real potencial para que você expanda seu negócio. Isso envolve a avaliação das tendências desses mercados locais sobre a aceitação e validação do seu produto ou serviço. Existem ferramentas de aferição mercadológica disponíveis, que possibilitam realizar o levantamento desses dados. 

Com isso, entende-se que, basicamente, o plano de expansão é realizar um cruzamento de dados, que levam em conta o perfil do seu negócio com o perfil da região que possui potencial de expansão da sua marca. Esse estudo pode ser simples, dependendo do tipo de negócio e mercado em que você atua, porém pode ser mais complexo em razão do ramo que sua empresa atua. Nesse caso, também se deve considerar as particularidades do negócio como variáveis deste estudo de mercado potencial de expansão.

Instrumentos jurídicos necessários

A formatação de franquias no Brasil é regulada pela Lei n. 13.966, também conhecida como Lei das Franquias. Ou seja, além de um planejamento estratégico operacional da execução da franquia, há de se preocupar com os aspectos legais exigidos pelo ordenamento jurídico brasileiro. 

Essa lei dispõe que são indispensáveis a elaboração de dois documentos: a Circular de Oferta de Franquia e o Contrato de Franquia. Esses documentos jurídicos são necessários para uma formalização regular da relação entre o franqueador e o franqueado. 

A Circular de Oferta de Franquia, também chamada de COF, constitui documento que deve fornecer informações a terceiros, com interesse em adquirir sua franquia, sobre os aspectos jurídicos, financeiros e comerciais da marca. Ainda, existem outros documentos que são exigidos pela legislação, que devem ser anexados à COF. O contrato de franquia é, pois, a formalização do negócio entre o franqueador e o franqueado. 

É recomendável que se obtenha uma assessoria jurídica especializada em franquias, para que sejam redigidos esses documentos da melhor forma possível, já que são de extrema valia para a expansão de maneira regular do seu negócio.

O perfil ideal do franqueado

Para que o seu sistema de franquias seja tão exitoso quanto o seu negócio é de extrema importância que haja alinhamento entre sua empresa e o franqueado. Nesse sentido, definir um perfil ideal do franqueado pode ser uma estratégia essencial para um funcionamento eficaz e de sucesso do seu sistema de franquias.

Existem diversas ferramentas que podem auxiliar na definição do perfil do franqueado ideal. Porém deixaremos aqui a sugestão de utilizar o mapa da persona. Essa é uma ferramenta bastante utilizada no marketing para definir os perfis de consumidores, mas que não impede que seja utilizada para criar a sua persona franqueada. É uma ferramenta bastante simples de ser aplicada e pode auxiliar bastante nessa etapa.

Uma característica que deve ser avaliada e levada em consideração na hora de definir o franqueado ideal é o de que a pessoa tenha um perfil mais gestor, do que investidor. Isso pode garantir mais produtividade e eficiência das franquias. 

Além disso, é importante que se enxergue se o franqueado em potencial possui alinhamento de valores com a franquia. É praticamente senso comum no meio corporativo que o desalinhamento de valores entre a equipe e a organização pode gerar prejuízos para a empresa. O mesmo vale para a relação entre franqueado e franqueador. 

Plano de estruturação e implantação da empresa franqueadora

A formatação de franquia vai alterar aspectos internos da sua empresa e essa nova estruturação deve ser observada e executada de forma planejada. Nessa etapa, você deve definir quais são as atividades exercidas pela empresa franqueadora e a maneira como se dará a divisão interna, o desenvolvimento das atividades da rede de franquias,  a coordenação e a organização das atividades internas.

A empresa franqueadora será a gestora do sistema de franquias e passará a se preocupar com questões que antes não eram do seu cotidiano operacional, como por exemplo o suporte que deverá prestar às unidades franqueadas e os treinamentos de áreas que fornecerá aos franqueados. 

É importante que a nova estrutura da franqueadora leve em conta um modelo de negócio que seja capaz de fortalecer o sistema de franquias, através principalmente da transferência de conhecimento aos franqueados. Deve-se levar em consideração também uma estrutura que seja capaz de replicar o seu modelo de negócio pela rede de franquias. 

Principais pontos para constituir a implantação de novas unidades da sua franquia

Após percorrer os passos listados e explicados acima, chega o momento de implementar a expansão da sua marca, através da efetiva implantação de novas unidades franqueadas. Esse momento representa a execução de fato de todo o planejamento que você realizou anteriormente, por isso é vital para sua rede de franquias que seja bem executado. 

Pode-se imaginar erroneamente que após a celebração do contrato de franquia a franqueadora está livre de obrigações. Pelo contrário, é importante que ela viabilize e dê suporte a suas franqueadas. Nesse sentido é bom que se leve em conta alguns aspectos da implantação de uma nova unidade. São eles:

  1. Auxiliar na escolha do ponto comercial da nova unidade;
  2. Oferecer treinamentos ao franqueado, a fim de replicar o modelo de negócio da franqueadora; 
  3. Ajudar na escolha dos fornecedores, com o intuito de se manter a qualidade dos produtos vendidos (esse caso é mais específicos para empresas de produtos, o formato desse auxílio pode mudar se a sua empresa é de serviços);
  4. Acompanhar as atividades de implantação da nova unidade franqueada; 
  5. Oferecer e realizar o treinamento inicial da equipe da franquia. 

Estabelecendo um bom relacionamento entre o franqueador e o franqueado

O relacionamento entre franqueador e franqueado deve ser bem nutrido e cultivado, para que o sistema de franquia mantenha seu bom funcionamento. Vale ressaltar que esse relacionamento não se dá apenas durante o processo de franqueamento. 

Claramente ele deve se iniciar nesse período, mas é importante que seja estabelecido um vínculo saudável durante toda a existência da unidade franqueada. Isso ajuda a garantir um desempenho diferenciado da rede no mercado e também a trazer melhores resultados.

Ter um planejamento de implantação da franquia, como vimos logo acima, já é um ponto que ajuda bastante a cultivar um bom relacionamento com a unidade franqueada. Existem, ademais, outros fatores que podem contribuir para esse bom relacionamento entre franqueador e franqueado. 

Vamos citar e aprofundar um pouco mais sobre quais estratégias podem ser utilizadas para aproximar a relação que deriva do contrato de franquia. Seguem algumas dessas dicas: 

 

  • Dar suporte eficiente aos franqueados 

 

A empresa franqueadora é a instituição mais indicada a prestar consultoria para suas unidades franqueadas, pois é a detentora de profundo conhecimento do modelo de negócio da rede de franquias. Dessa forma, ninguém melhor para dar suporte aos franqueados do que o próprio franqueador. É interessante que esse suporte seja um canal acessível pelos franqueados, podendo ser a distância e quando necessário que haja um auxílio presencial da franqueadora.

 

  • Oferecer bons treinamentos 

 

Além do treinamento inicial que a franquia recebe, se faz trivial que ocorram treinamentos de maneira contínua e permanente. Deve-se atualizar a rede de franquias com as mudanças que ocorrem no mercado, por exemplo, e por isso a necessidade de que capacitações ocorram constantemente.

 

  • Estar atento aos relatos dos franqueados

 

Ouvir, de fato, o que os franqueados têm a dizer pode estreitar bastante o relacionamento que você mantiver com eles. Estar aberto para críticas e sugestões pode trazer melhorias e benefícios para o negócio como um todo. Esse aspecto pode elucidar melhor o caráter de parceria que irá se estabelecer entre a franqueadora e a franquia, ajudando inclusive a fortalecer a sua marca no mercado.

 

  • Ter um canal de comunicação eficiente e assertivo

 

Comunicar-se de forma clara e objetiva pode significar otimização de resultados, a partir do momento em que se expõe todos os detalhes com clareza há minimização de erros e potencialização de produtividade. Ainda, se faz necessário que esse canal de comunicação não se dê de forma unilateral. Dessa forma, a franqueadora deve estar acessível sempre que possível quando a unidade franqueada precisar.